08
mar

Conheça a origem e significado do dia 8 de março

,Isso

Foto: Reprodução

Já conhecemos a história que sempre foi contada sobre o Dia Internacional da Mulher: que surgiu como forma de homenagear as operárias estadunidenses de uma fábrica têxtil que morreram carbonizadas, vítimas de um incêndio intencional, em 8 de março de 1957, em Nova York.

A versão mais contada, é que o crime teria ocorrido em retaliação a uma série de greves e revoltas das trabalhadoras.

Embora essa seja a narrativa mais compartilhada, quando se fala sobre a origem dessa data, mas ela não é verdadeira. 

O primeiro registro  sobre essa data se remete em de 1910: durante a II Conferência Internacional das mulheres em Copenhague na Dinamarca, Clara Zetkin, que era feminista marxista alemã, propôs às trabalhadoras de todos os países que organizassem um dia especial para as mulheres, do qual o primeiro objetivo seria promover o direito do voto feminino. Essa reivindicação também era inflamada em outros países como Estados Unidos e Reino Unido.

No dia 25 de março do ano seguinte ocorreu um incêndio na fábrica Triangle Shirtwaist em Nova York, que matou 146 trabalhadores, incluindo 125 mulheres, onde a grande maioria eram imigrantes judias e italianas com idades entre 13 e 23 anos.

Essa tragédia fez com que a luta das operárias estadunidenses coordenada pelo sindicato International Ladies’ Garment Workers’ ou União Internacional de Mulheres da Indústria Têxtil, crescesse ainda mais.

As russas soviéticas também tiveram um papel importante no estabelecimento da data 8 de março: Nesse dia em 1917, tecelãs e mulheres familiares de soldados do exército, tomaram as ruas de Petrogrado (São Petersburgo).

De fábrica em fábrica, elas convocaram o operariado russo contra a monarquia pedindo o fim da participação da Rússia na I Guerra Mundial. 

Fonte: Brasil de Fato (https://www.brasildefato.com.br/2019/03/08/marco-das-mulheres-or-a-verdadeira-historia-do-8-de-marco) 

 

Retornar às origens 

Foto: ebc

Em cada 8 de março, as mulheres trazem inúmeros questionamentos em torno das homenagens recebidas nesta data.

 

Isso porque, em todos os dias do ano, o gênero feminino é o principal alvo da violência e da desigualdade.

 

Tanto em 2017 quanto em 2018, mulheres de todo o mundo se organizaram em defesa de seus direitos. Com o lema “Se nossas vidas não importam que produzam sem nós” a manifestação aconteceu em 40 países.

 

Já nos anos de 2019 e 2020, dezenas de países  (inclusive o Brasil) levantaram o legado de nomes específicos de mulheres revolucionárias, representantes de uma luta sem fim que traduzem o poder da mulher naquela região. 

 

Essas ações resgatam a luta e a importância da origem da data para que não vire somente uma comemoração comercial.